O ocultismo

Papus foi uma das grandes figuras do que se pode chamar de neo-ocultismo. Suas inumeráveis obras apresentam as faculdades ocultas do Homem, as forças invisíveis da Natureza e os meios de utilizá-las. 

O ocultismo afirma a existência de 'fluidos' que manifestam um mundo invisível no interior do mundo visível, pesquisa as analogias e correspondências entre visível e invisível, mas também entre os diversos seres. Em consequência, o ocultismo pratica, supõe o conhecimento e utilização da magia, astrologia, adivinhações, medicina oculta e alquimia.

Agrippa de Nettesheim, Eliphas Lévi, Papus e os iniciados que o cercavam desenvolveram ritos e práticas destinadas a utilizar essas forças invisíveis para o bem do aspirante.

Como Agrippa escreveu: « A Magia, [o ocultismo, a filosofia oculta] é uma faculdade que tem um grande poder, cheio de muitos mistérios levantados, e que encerra um grande conhecimento das coisas mais secretas, sua natureza, potência, qualidade, substância, efeitos, diferença e relação: de onde produz seus efeitos maravilhosos pela união e aplicação que faz das diversas virtudes dos seres superiores com as dos inferiores. (...) A Teologia nos faz conhecer o que é Deus, o que são os Anjos, Inteligências, Daimons, Alma, Pensamento, Religião... a virtude das palavras e das figuras, as operações secretas e sinais misteriosos ».

Para resumir podemos dizer que os princípios ocultistas se baseiam em 3 pontos principais:

1- Fluidos e espíritos: O ocultismo se baseia sobre a crença em um mundo invisível de fluidos ou espíritos que agem, incrustados no mundo visível da matéria e dos eventos ordinários. O mago conhece e manipula as "virtudes ocultas": influência dos astros, a força dos sons ou a ação oculta dos símbolos, ou os gênios dos lugares, espíritos da floresta...

2- Simpatias e antipatias: Os objetos entram em relações de simpatia e antipatia, isto é, de amizade ou hostilidade que o mago deve conhecer e pode utilizar. O texto principal é este, de Ostanes o Mago: « a natureza em tal caso encanta a natureza, a natureza em tal caso domina a natureza, a natureza em tal caso é vencida pela natureza. » O ímã e o ferro estão em simpatia (eles se « encantam »). « O animal antipático do basílico [uma serpente] é a doninha, da qual ela não suporta nem o odor nem a visão ».

3- Analogias e correspondências: A doutrina fundamental do ocultismo é a das analogias e correspondências. Existem relações de identidade simbólica entre o mundo espiritual e o mundo material, verticalmente, do alto até em baixo, e, horizontalmente, entre os diversos elementos de cada mundo, espiritual ou material. O texto principal aqui permanece a Tábua de Esmeralda de Hermes Trismegisto: « O que está em baixo como o que está no alto, o que está no alto é como o que está em baixo, para fazer os milagres de uma só coisa. » Por exemplo, existe uma analogia, identidade de estrutura entre Deus (no alto) e o Sol (em baixo), entre o Mundo (macrocosmo) e o Homem (microcosmo), e correspondências, equivalências, correlações, familiaridades entre o reino mineral do Mundo e os do Homem, entre o Sol e o olho direito... 

 

O grupo de livros que acabamos de citar, (Agrippa, Eliphas Levi, Papus) são assunto de ensinamentos. As chaves que são encontradas são praticadas em um quadro que permite trabalhar sem risco.

É dessa maneira que o iniciado poderá progredir com eficácia, utilizando todos os poderes sagrados que as potências celestes colocaram em sua alma.